quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sobre vampiros e amores

Ontem à noite o meu plano era dar mais uma estudada ao chegar em casa. Mas eis que surge minha irmã com uma sacolinha da videolocadora e um filme chamado "Crepúsculo".

Eu não sei vocês, mas eu já tinha ouvido muito falar desse filme, embora nunca soube do que se tratava.

Quando começou, não pude deixar de rir da ironia da situação: Eu, recém chegada de uma cética e espinhosa conversa sobre relacionamentos com duas amigas, estava vendo um filme sobre o amor eterno.

É, mais ou menos isso. É a história de um vampiro bonitão que se apaixona por (Adivinhem!!) uma mortal. Uma adolescente m
ortal.

Leitores, como vocês já devem ter imaginado, ele tem medo de machucar ela por causa dos instintos dele e tudo mais. Aí que se desenrola o filme, mas eu não vou contá-lo, caso vocês queiram assistir.

Os lugares escolhidos para as filmagens são lindos, dá vontade de sair correndo daqui e ir pra lá. Também tem umas câmeras bem legais. Eu sei, é chato ficar fazendo esses "comentárinhos técnicos", por isso não vou me estender...

Quando terminou o filme, minha irmã, notando minha cara de decpção com a história, argumenta:
-É um filme que pode ser entendido como uma mensagem.O fato de ele ser um vampiro e ter que ficar resistindo a ela todo esse tempo pode ser interpretado dessa forma: na verdade, essa "barreira" seria a virgindade dela.

Qué? uiahaihauia. Eu ri. Mas, pensando bem, pode até ser visto dessa forma, afinal, tudo que ele quer, literalmente, é "beber o sanguinho" da moça, não é mesmo?

Eu acho que pra nós, meninas dos seus 20 e poucos anos ,que já passaram desta fase aí da primeira vez, podemos interpretar de outras formas.

Neste filme, assim como na maioria dos filmes com vampiros, eles são criaturas charmosas, sedutoras, bonitas, jovens e eternas. Criaturas que só podem aparecer de noite.

...

Nenhuma semelhança até agora? hm? não? Como alguns "seres
" que aparecem nas nossas vidas? Que quando a gente pede uma explicação ouve um "você não entenderia", "não quero te trazer pra esse tipo de vida".
Hmmm, eu acho que já passei por alguns vampiros nessa vida.

E por fim, se tem algo que fez sentido nesse amor eterno entre os dois, pra mim é o seguinte: é mais real a possibilidade de ser com um vampiro do que com um humano...

Ainda mais se for tipo o moço aqui da foto:

5 comentários:

CADU disse...

Eu sou menino, e vi esse filme. Eu li que a autora queria resgatar um pouco do amor romântico dos tempos das histórias medievais de cavalaria. Tipo, o cara tinha aquele amor inatingível, que se ele tocasse já estaria profanando. Eu acho que a autora até conseguiu esse lance.

Rafa disse...

Eu não vi esse filme... me desencorajaram dizendo que a autora era uma mórmon que pregava a sua doutrina através dele, e que os vampiros eram vegetarianos. Se isso for verdade, a irmã da Carol pode ter razão. De noite eu termino de comentar, tem um solzinho me incomodando aqui na janela =)

Helena disse...

Liiiiiindo!
hehehe

Carolina Aquino - Alg disse...

Já li todos os livros da série e vi o filme rsrsrs.. particularmente: Adorei. Só que.. sei lá.. esse lance de amor, faz muito meu gênero não.. li e vi pelos vampiros msm! hahahahahaahah...
Ahh... e tem mais,... sei lá.. não é a virgindade dela não, é a dele kkkkkkkkkkk...


Leiam os livros e vão entender.. rsrsrs..

Bjs

Gabriela disse...

oi, tudo bem?