sábado, 13 de dezembro de 2008

Carta ao Príncipe Encantado


Algumas pessoas estão tentando me convencer que você não existe. Que você é que nem o Papai Noel, o Coelhinho da Páscoa ou uma mulher sem celulite: apenas um mito. Mas eu sou teimosa e ainda insisto em lhe esperar. E, como eu não acredito em Papai Noel, a minha cartinha de final de ano vai para você.

Querido Príncipe Encantado,

Ao que tudo indica você se perdeu em sua jornada. Eu nem deveria estar surpresa, já que você é homem e todos nós sabemos que homens nunca acham que estão realmente perdidos e, por isso, nunca param para perguntar o caminho. Ainda acho que seria mais prudente se você levasse um mapa consigo. Uma bússola, talvez? MEU DEUS, PRÍNCIPE, JÁ OUVIU FALAR EM GPS???

Desculpe. É que, às vezes, perco a paciência com você. Por favor, não se ofenda, não é nada pessoal − afinal, nem nos conhecemos. Mas essa coisa de ficar perdido por aí acaba me irritando. Profundamente.

E isso me leva a pensar se eu ainda quero que você apareça. Convenhamos: um cara que se perde no meio do caminho e nem pede por informações não parece ser dos mais espertos. E eu gosto de pessoas inteligentes, baby. Somado a isso ainda tem o fato de que eu cansei de esperar.

Mas não se preocupe, não estou triste. Ando me divertindo por aí. Na verdade, há anos que eu me divirto por aí. Com outros homens, inclusive. O quê? Ah, pára! Você não esperava fidelidade prévia de mim, não é? Você não tem esse direito, my dear. Nem deu as caras! Não mandou um aviso dizendo a data em que chegará. Se é que chegará!

É. Talvez seja melhor que você não venha. Nem nos conhecemos e já estou brigando com você! Estou começando a acreditar que você não existe mesmo, uma vez que nosso relacionamento deveria ser perfeito e não é, sem ainda nem ter começado.

Talvez seja melhor para você ficar com alguma Princesa, mesmo. Eu sou muito complicada e irritadinha, pelo visto. E, talvez, o melhor para mim seja ficar com um homem comum. Assim, desses que jogam futebol com os amigos, bebem cerveja, andam em carros, e não em cavalos brancos... essas coisas.

Por outro lado, se eu pensar bem, todos os homens que eu já conheci, nesse tempo em que estou lhe esperando, também se perdem e não pedem informação... Hummmm... É... Talvez seja melhor que você apareça, mesmo. Mas, por favor, Príncipe, NÃO DEMORE MUITO!

10 comentários:

Paula disse...

hahahaha
tá ótimo, Julia!!

Deni! disse...

Pois é, amiga... o meu príncipe deve ter caído do cavalo, tido uma concussão cerebral e esquecido pra onde tava indo. Nesse momento ele deve estar por aí, perdido, confuso... tadinho! Ou então, ao invés de vir num lindo alasão branco, tá vindo de jegue. Manco.

Padre Quevedo disse...

Eu solamente me pronuncio sobre assuntos que ecsisten!

Non obstante, estas pessoas citadas en primero parágrafo estão correctas. Principes encantados non ecsisten!!! O que ecsiste é una criação mental idealizada do par romântico perfecto. Inclusive a paixão difere do amor – que tambén non ecsiste - justamente nisto. A paixão idealiza o ser, objeto do desejo, como se fosse perfecto. O “amor” vê as falhas do objeto, mas resiste hasta o fim da fase da euforia passional e todas as adversidads provenientes.

Tudo trata-se de un truque evolutivo para que escolhamos os parceiros com os melhores genes. Desta forma sendo o cérebro muitíssimo complexo, aliado aos anseios da sociedade e nossas obcesseciones e loucuras, acabamos nesta busca interminável y sofredora por alguém que una hora ou outra vai perder sua “graça”. Assim, o sofrimento é inevitável, arrebatador e cíclico.

Anitz disse...

eu concordo totalmente com o padre!

Julia disse...

P.S.: Meu Príncipe Encantado,
Não dê ouvidos aos comentários que duvidam de você e aos que lhe ofendem (principalmente os que estão nas cartas 2 e 3, das quais não sou a autora, mas são mais numerosos). Eu ainda acredito em você, apesar de saber que você também tem defeitos, como eu. Falando nisso, apesar dos defeitos, EU SOU PRINCESA, SIM, e continuo lhe procurando.

Paula disse...

ótima idéia a do marcador com o nome, julia!
Também vou marcar os meus! uhú!

beijos

Julia disse...

É né! Não marquei tds q publiquei, só os q eu falo sobre mim. Tipo, notícias, sonhos e piadas eu deixei de fora hehehe

CADU disse...

O Julia, fala sério, polêmica é a alma desse blog. Adoror!! e o príncipe é chato, e eu sou um sapo, mas a Paula é minha princesa!!!

Jonas disse...

Nem te stressa, Julia. Eu também acredito, melhor, acreditava na princesa encantada, apesar de ela estar se revelando vingativa, orgulhosa e má! (é humana, sem dúvida)
Sem falar na ingenuidade de esperar maturidade de um garoto de 14 anos. Muito fácil condenar uma década depois, no problem. Mas aí ao invés de liberar a criatura, fica se fazendo de salame. Não vou entrar em detalhes, mas esses joguinhos de algumas mulheres extrapolam os limites. Agora, depois da ultima dela ela vai esperar sentada, porque eu sei diferenciar um fora de um “se esforce um pouco mais, corra mais atrás” etc. Bom, pelo menos eu me sinto mais aliviado por não sentir mais culpa pelo passado, sabendo que eu fiz a minha parte. Que alívio espiritual, boa sorte pra ela!

Julia disse...

Jonas,

Não deixe de acreditar! E 14 anos... fala sério... nem pode ter maturidade, é proibido!

E diga NÃO aos joguinhos!
Lanço aqui a campanha "joguinhos emocionais - isso tem que ter fim"!

E não fique com raiva da sapinha! Ela erra, como todos nós, mas ainda pode ser a princesa de alguém... como vc pode ser um príncipe pra outra! =)