domingo, 8 de março de 2009

Medo do quê?

Olá para todos. Meu nome, como todo mundo percebeu, é Carol. Gentilmente fui convidada para ser uma Lulu também. E, primeiramente quero dizer que estou muito honrada e agradecida pelo convite!!

Bom, mas para estrear minha primeira postagem, eu queria falar sobre o medo.

É sentimento típico do ser humano, se é que podemos dizer que é um sentimento, uma vez que muitos seres vivos possuem mecanismos de defesa que podemos dizer que são manifestações de medo e, bem, deixa pra lá que isso é outra história!

Um dia desses, naquelas rodas de amigos e amigos dos amigos e pessoas que a gente nem sabe de onde surgiram, alguém comentou: eu não tenho medo de nada. Simplesmente, não sinto medo.

Quê???? Ôpa? Helouu?

Não creio. Não mesmo. Todo mundo, eu disse TODO mundo, tem medo de alguma coisa. O que é diferente é DO QUE se tem medo. Mas ele sempre está ali. Na espreita. Os batimentos cardíacos aumentam, as mãos ficam frias e suadas, as pupilas dobram de tamanho. Pura química.

Pode ser de barata, ginecologista, altura, agulha,aranha, moto, bicicleta,dentista, leão, mulher, homem, amor, criança, espírito, ET, macumba, ladrão, pai, mãe, doença, morte, sangue, monstros, filmes de terror, se paixonar e mais um montão de coisas!!

Não importa o que for, todo mundo o sente. E, às vezes a gente até tem vergonha de confessá-los, pois pode parecer ridículo para os outros. Mas pra nós não é, pelo contrário, é assustador. E por isso a gente sempre foge do que tem medo. É uma reação instintiva, afinal, não é à toa que tomamos uma descarga de adrenalina: ficamos preparados para a fuga.

Sim, isso mesmo. Adrenalina pura. Quando recebemos uma descarga desse hormônio no nosso organismo, preparamos o nosso corpo para reação de luta ou fuga: ou matar ou fugir. Lembram disso, das aulas de biologia? Pois é. Enquanto nossos ancestrais utilizavam esse mecanismo de defesa para fugir dos leões ou matar um outro bicho pra comer, nós "herdamos" isso para "fugir" da aranha sinistra do banheiro, ou da cobertura do vigésimo andar que aquela nossa amiga se mudou semana passada e insiste pra gente ir lá "olhar a vista".

Ou seja, não tem como "não ter medo de nada". É algo tão natural como fazer cocô, por exemplo.

Tem pessoas que tem mais medo do que outras. Ou melhor, tem pessoas que administram melhor seus medos. E tem outras que tem medo de poucas coisas, enquanto outras tem medo até da sua própria sombra.

Eu confesso que tenho medo de bastante coisa. Algumas estão ali na lista que eu citei. E outras não vou me lembrar de escrever aqui. Quando elas surgem, eu lembro que tenho medo delas.

Eu confesso também que sou bastante medrosa e que pra mim é bem difícil lidar com meus medos. Mas, acredito que venho melhorando com o tempo e que não tem muito mais do que fazer a não ser aprender a administrá-los, afinal, não deixa de ser um mecanismo de defesa.

E você, tem medo do que?

10 comentários:

Paula disse...

Ai!!! Peço muitas desculpas! Não fiz um post para apresentar a carol!
Vou fazer um! Só não faço hoje para não tirar teu post do topo.
Então, só explicando: a Carol é uma Lulu/personagem, que mantém em sigilo a identidade da autora - a pedido da própria. Suspense!

bem-vinda!

CADU disse...

Será que um dia a Carol sai do armário?

Paula disse...

Eu tenho medo de mudanças... mas, ao mesmo tempo, tenho medo de que elas não aconteçam.
Também tenho medo da morte (minha e das pessoas q amo).

MonaLisa disse...

Humm, tenho uma leve intuição de que conheço a Carol...será??

Julia disse...

"eu tenho meeeedo"/regina duarte

Carol disse...

Paulinha, sem problemas, já me auto apresentei!hehehe!
Agora, acho que não é uma discussão de saber se eu vou "sair do armário ou não", ou ficarem imaginando quem eu sou.
Eu sou Carol. Posso ser uma personagem, mas tenho meus próprios pensamentos, que não são iguais ao da pessoa que me criou. E,como o texto de agora, vocês poderão me conhecer bem de perto mesmo sem nunca terem me visto (apesar de ter um desenho meu no perfil, viram?muito fofo, não acham?)

beijos para todos e todas!

CADU disse...

Bom, as pessoas que me conhecem, sabem que eu tenho medo de tudo. Aliás, medo deve ser o meu sobrenome, meu companheiro, nas horas ruins e nas piores ainda. O dia que eu não ficar com receio de alguma coisa, eu acho que serei uma pessoa pior. heheheh!
Um belo bem vindo a Carolzinha!!

Paula disse...

tenho medo de avião, de perder o controle (que eu acho que tenho) das coisas, de ser enganada.

Rafa disse...

Eu tenho medo do Roth em mata-mata (ou em qualquer outro tipo de competição).

Depois posto meus outros medos...

Paula disse...

é, eu também.