sábado, 10 de janeiro de 2009

Quadrada, eu?

O texto a seguir é uma generosa contribuição da Anitz!
 postado originalmente em www.nonsenseabanda.blogspot.com


Pois então. 


Nessa última terça feira eu inocentemente resolvi sair com uns amigos pra tomar uma(s) cerveja(s). Papo vai, papo vem até que rolou a velha história de "vamo numa festa". Euzinha, comodista de carteirinha, já pensava com meus botões:

"festa? música ruim, gente se esmagando e cerveja quente!putz!!".

Mesmo assim aceitei de bom grado o convite, afinal após dois meses de solteirice já é hora de se acostumar com a nova vida e tirar o véu de luto.


Mas enfim, nem era esse o ponto de eu estar escrevendo...

Acontece que a gente acabou se levantando, se movendo e indo um lugar bem alternativo de Porto Alegre. Uma festa gay.Aliás, nunca fui numa festa tão gay em toda a minha vida! Convenhamos, tendo tantos amigos gays, obviamente que eu ia acabar parando em festas gays, alternativas, ou o que quer que seja!



Eu provavelmente era a única heterosexual presente. Pelo menos era o que eu achava, até aparecer outra perdida como eu gritando:


-só tem homem lindo aqui, que desperdício!

Mesmo assim foi uma das festas mais divertidas que eu já fui. Dá pra dançar a noite inteira sem cansar! Apesar de ter sido bom, acho que estou ficando velha mesmo...


Velha do tipo que não tem mais saco de ficar se esmagando no meio de uma galera, onde todo mundo faz tentativas desesperadas e aterradoras pra beijar alguém, pra agarrar, pra tirar pedaço. Um desespero só.


Eu não quero realizar fantasias sexuais cabulosas com pessoas estranhas, ou grupos ou até mesmo pessoas do mesmo sexo.Eu não sinto vontade de trair meu namorado(se eu tivesse um) só porque achei bonito o cara ao lado.Eu ainda acredito em fidelidade, embora não acredite mais no amor. Não preciso comentar aqui que isso não é preconceito com quem GOSTA e FAZ essas coisas. Isso é o que vale pra mim. 

"Como assim não quer?Todo mundo quer!" 


Já ocorreu a vocês que, de tanto ser pressionada(o) a gente acaba se "auto cavocando"pra ver se TEM vontade porque simplesmente você se acha ESTRANHO de não ter, afinal de contas, TODO MUNDO tem. Ou pelo menos é o que todos te fazem achar.



Mas eu não. Gente, não é nada reprimido não. Depois de pensar muito (por que isso me confundiu por uns dias, tamanho bombardeio de informações), eu sou assim mesmo. Quadrada. Quero sair pra ficar sentada e conversando, sem ter que sair numa festa porque TEM QUE sair, como se essa fosse a única forma desesperada de se divertir.Como se o mundo fosse acabar amanhã e, se você não beijar alguém hoje pode ficar solteirona o resto da vida.



Calma, não me levem a mal. Sair pra dançar às vezes é muito divertido e faz bem. Mas, tudo tem limite. E pra mim já começa pela lotação de pessoas do lugar que eu vou.

E tem uma coisa que não saiu da minha cabeça até agora: Porque, porquêee, por QUÊ que tem tanto homem lindo gay?! O que sobra pra nós, pobres heterosexuais do sexo feminino?hm?


beijomeliga!




9 comentários:

Julia disse...

Quadrada seria se vc tivesse preconceito, coisa q nao tem! Nao ser lésbica, bissexual, pansexual ou o cara*** a quatro nao quer dizer ser quadrada!!!
O fim da picada é fazer as coisas só pra ser igual aos outros, pra ser aceita.

E, sim, pq esses caras liiiiindos sao gays??? Oh God!

Ju disse...

eu penso bem parecido...em vários aspectos sou 'velha'...e definitivamente pegação em festa não é comigo!

Fernanda (colega da ju) disse...

Adorei o Post! E concordo totalmente com essa mentalidade "quadrada"! Se isso é ser quadrada, sou e com orgulho. Esse tal aspecto de velha, que os outros jovensinhos de 20 e tantos, com nós, nos julgam nada mais é do que sentar, falar, ouvir e apreciar. A aquela agitação do agarramento não me comove. E pagar pelo esmagamento em público não tem sentido. E tem festa por aí cobrando 100 pila por isso...
ueba,meu primeiro comentário.
Gosto muito do blog! Bejo pra todas e pra Ju huhu

Guada disse...

tem dias que me sinto uma velha!!
mas aí fico pensando... e o que sobra pra minha mãe? se eu for velha, imagina ela?!
ah... e concordo muito com vcs! acabou a fase de pagar caro para ficar como sardinhas enlatadas, tendo nossos lindos cabelos quase arrancados pelos trogloditas das cavernas em dia de caça!
prefiro ver um bom filme, tomar um bom vinho, jantar com as amigas, ficar com a minha família que é divertidíssimo por sinal...
ah... e os gays lindos... tenho dois cabeleireiros super gatos e sarados e GAYS! ai que desperdício! hihihihihi
bjos lulus!!!

p.s.: gostaria que as lulus que moram ou jah moraram sozinhas falassem sobre isso! estou saindo do ninho esse mês e estou meio "perdidinha"...
bjo!

Paula disse...

Guada, a Julia tem propriedade pra falar desse assunto.
Até se a própria Anitz - autora desse post - quiser escrever sobre "morar sozinha", está mais do que convidada. Ela também tem essa experiência.
Eu não tenho base nenhuma, continuo no ninho... mas em breve, quem sabe! uhuuu

Anitz disse...

Adoraria escrever sobre esse assunto, porque é realmente uma experiência e tanto!é difícil mas ao mesmo tempo é uma delícia ter sua casa, sua idependência, fazer o que quiser e tudo mais!mas nem tudo são flores!
Vou escrever no blog da Nonsense, e as lulus se quiserem postar aqui fiquem à vontade!!Ficaria mais uma vez honrada!

beijoes!

Anitz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Pedro Oliveira disse...

eu não diria velha, ou careta.
diria experiente.
mas assino embaixo, tbem penso assim

com relação aos homens gays e sarados..
prefiro ficar com minha noivinha linda aqui do meu lado....

ih até rimou
abraços lulus

Rafa disse...

Estranho... também tenho pensado assim ultimamente, achei que era a idade chegando, mas pelo visto não sou só eu. Um dia pensei que eu pudesse ta deprimido ou algo assim, porém pra ir num barzinho, sair com os amigos, jogar futebol etc. eu me pilhava normal...

Não é que eu vá deixar de ir pra “night” eternamente, é uma questão de prioridade, de fazer o que se tem vontade na hora e não o que “Todo mundo quer” como tu bem colocou; Sem falar nos preços abusivos da maioria das casas noturnas (e quando eu saio eu beeebo) ¬¬.

E isso de homem lindo gay eu não sei explicar, já ouvi muito... mas em tese é bom pra nós heterossexuais — “bonitinhos”, semi-lindos, médios, feios, exóticos, misteriosos, simpáticos, whatever... — aumenta nossas possibilidades.