quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O medo

Vim falar sobre o que anda me assolando nas ultimas semanas, e que me deixou um pouco ausente do blog também. O famoso tcc, tc ou tfg – trabalho final de graduação - como gostam de chamar os futuros arquitetos, que eu temia desde o primeiro dia na faculdade, finalmente chegou. Junto com ele vieram as insônias, os suores, as tremedeiras. Ta, e ai vocês me perguntam: “por que tudo isso?” Também gostaria de saber. Afinal de contas, é a mesma coisa que estivemos fazendo nos últimos 6 anos (no meu caso), 12 semestres repetindo a meeesma coisa, qual seria a diferença dessa vez? Talvez porque dessa vez a responsabilidade está toda nas nossas costas, as escolhas, rumos e resultados do trabalho. Talvez porque dessa vez tenhamos banca e platéia para assistir nosso showzinho nervoso. Talvez também por causa da 'pequena' pressão de “vamos organizar a formatura!”. É, dessa vez não tem a mesma 'liberdade' para que as coisas possam dar errado como tinha das outras vezes. De qualquer forma, isso não justifica a intensidade do medo, esse medo que, na véspera da primeira apresentação me deixou de olhos estalados e me fez sentir como se o coração tivesse se mudado de mala e cuia para a barriga. Medo esse que provoca bloqueios de memória, gagueiras, que faz a pessoa se encostar na parede para que ninguém note o amolecimento medonho das pernas. Devo culpar também os malditos sonhos, que quando a gente não quer eles aparecem! Sonhei muitas vezes, com tudo dando errado, com minha voz não saindo porque a banca não me deixava falar! E no dia? Me deixaram falar tudo, até demais, com aqueles olhares pacíficos e interessados. Segundo uma de nossas lulus, esse terrorismo todo é provocado por uma tradição que nós mesmos, alunos, criamos e vamos passando em diante para as gerações seguintes de coitados que virão. Sim, nós mesmos que fazemos isso! Por isso mesmo que é mais absurdo, que frescura é essa? Vamos ser machos uma vez na vida e acabar esse troço de cabeça erguida! O desejo de ver esse sonho realizado é tão imenso, pra que deixar esse temor trazer sentimentos tão confusos? Pior de tudo é que tenho consciência que esse medo faz parte de várias questões da minha vida, não só a faculdade. Medo de falar aquilo que tá engasgado, medo de dirigir, medo de dar aquele beijo. Medo de tomar o rumo errado, medo de gritar ao mundo o que to sentindo! Ainda bem que a coragem às vezes fala mais alto, como quando resolvi me dar uma nova chance, não sem antes exitar, e me permiti morrer de amor! Graças à outra característica que tento trabalhar em mim: a de se arrepender somente do que não fiz. Mas isso é assunto pra outro post. De qualquer forma, peço a vocês que se prestaram a ler isso que torçam por mim (os que já estavam torcendo continuem, a energia de vocês me faz muito bem!) e para a nossa querida Paula para que tudo dê certo nesta última e final entrega que está logo por vir, quando finalmente poderemos comemorar todos juntos. Porque estou com medo.




“Nós somos medo e desejo,
Somos feitos de silêncio e som,
Tem certas coisas que eu não sei dizer...”

(Certas coisas – Lulu Santos)

11 comentários:

Deni! disse...

Ju!!
Teu texto me fez sentir todo o medo contigo, mas ao mesmo tempo deu uma vontade gigante de te dizer aquelas coisas que eu te digo há 5 longos anos! Talvez, agora, com um pouco mais de ênfase na parte do "sempre deu certo!"!!

Tu pode tudo o que quiser e sabe disso. Porque morrer de amor é muito mais ousado do que o TFG, baby!

Deni! disse...

... e como diria (sabiamente)Lenine, "o medo é uma força que não me deixa andar", então, se ele tem que te acompanhar, que seja andando ao teu ladinho, como um amigo que não deixa te deixa se acomodar.

Paula disse...

Ju, tu acredita que eu chorei depois de ler teu post??
Tô muito manteiga derretida hoje... acabei de voltar da minha pré-banca.

Sei o que tu quer dizer e concordo contigo, não só pela parte do TFG, mas pela parte d vida em geral.

Força, coragem e uma pitadinha de medo pra nós! hehe

Julia disse...

Lindo post!

E tu fala por todas nós, ou, ao menos, por mim, quando fala disso. Nem tanto por causa do TFG, mas por se ter medo, por ele exisitir em nós, sempre tão (aparentemente) seguras. Engraçado... comecei a escrever sobre o medo hoje também... mas isso é pra outro dia!

Com certeza estamos torcendo por ti e pela Paulinha, até porque sabemos que vocês não precisam ter medo, apesar de ser inevitável que ele esteja em vocês. O medo está com vocês? Nós também estamos! E somos muito maiores!!!

Paulinha Papaléo disse...

Ju, amei o post.
Sei muito bem o que tu tá sentindo e chega a ser engraçado ler essas coisas pois tu é justamente a pessoas que, muitas vezes, me dá forças para encarar tudo isso.
Mas como a Dê disse, sabemos que em 6 anos, no fim tudo deu certo.E agora dará também.
Força, coragem (e dedicação, claro) para nós - inclusive a outra Paulinha.
Beijos.
OBS:sem esquecer da felicidade completas em comemoração+teu niver!!!

magnus disse...

ju!! adorei o post!

bom, complementando um pouco o que tu disse... talvez o medo seja aquele "temperinho" da nossa vida! ele é importante, só não pode ser maior que a gente! imagina só, não sentir aquele frozinho na barriga antes do primeiro beijo? ou ainda, a sensação maravilhosa de ver que ultrapassamos a barreira e conseguimos apresentar o "temido" tfg pra banca! tah certo, a gente fantasia até demais, mas não teria a menor graça se não fosse assim! só que isso a gente só vai entender daqui algum tempo, quando lembrarmos com saudades dessas coisas todas...

bjos e muita força pra enfrentar esses fantasminhas que aparecem por ai!

Newton Jacuniak disse...

medrosa!!

Josh disse...

A síndrome de Regina Duarte é mais do que normal nessa fase, eu mesmo sonhei uma vez que não conseguia entregar no prazo. Mas no fim tudo dá certo, a banca é super parceira e é só ter se preparado que tudo transcorre normalmente!

E ainda bem que no meu curso é só uma apresentação...

Boa sorte a todas as Lulus que estão angustiadas e quando tudo terminar contem pra nós!

Já vou comprando minha champagne...

Dudu disse...

Já disse que quando tiveres medo, sempre estarei do teu lado de mão dada para enfrentar isso tudo junto. Quando tu ver que está (ou não estiver) dando tudo certo, serei teu portinho seguro always too!
Torco por ti sempre :)
Beijos amada

Julia disse...

huahuahuahuahuahua

SÍNDROME DE REGINA DUARTE!

huahuahuahuahuahua
Adoreeeeeeeeeeiiii!

Guilherme disse...

Pior, é real. Esse medo todo surge por que os nossos colegas, e no meu caso até a minha irmã mais velha falam horrores do tal do TCC. É como se fosse o trote final da faculdade nos alunos, e eu sempre pensei comigo mesmo "tá, o troço não deve ser simples, mas também não deve ser tão horrível-torturante-sofrível como parece"... Deve ser até um pouco divertido, além de junto com o medo/ansiedade e tudo mais, tu ter o sentimento de estar acabando uma etapa importante da tua vida.

De qualquer maneira daqui a um ano começarei a sofrer do mal do TCC... Vamos ver...